21 de dez de 2011

Pesca e Bushcraft

Mais uma vez, tive um convite difícil de recusar, afinal se trata de uma dupla que eu amo e que sempre me acompanhou pode-se dizer antes mesmo de nascer, ou seja, Pesca e Bushcraft.

Embora não seria nada muito longo a aventura, sem dúvida era algo que valeria a pena sobre tudo para dar aquela relaxada e  apesar do tempo de chuva sequer cogitei exitar rsrsrsrs.

Seguimos para a fazenda de um querido amigo, onde temos carta branca para utilização dos lagos.

Com os equipamentos preparados, hora de seguir para o local de pesca, onde estava carregando além de meus itens para bushcraft varas de carbono lisas e também um conjunto para artificiais  para as traíras..

Já na fazenda, um pequeno lago ao caminho, que sempre rendem os bons lambaris.



Chegando ao local, a água brilhava, mais parecia um espelho de prata recém polido.


Olhando de outro ângulo é possível visualizar muitas estruturas, proporcionadas por árvores que foram submergidas, se tornando um local interessante de pesca, sobre tudo com montagens que permitam trabalhar entre os espaços sem enroscar, como por exemplo com as softs.


Sem delongas segui para uma extensão do tanque, em busca de alguns bons lambaris, como sempre com varas 99% Carbono, com linha 0,15mm e anzóis cristal, e como isca o clássico macarrãozinho. Sem dúvida um espetáculo com um equipamento extremamente leve.

Sempre escondido em meio a vegetação.


E logo os resultados aparecem e podemos dizer que relativamente em bom tamanho.





E assim se seguiu parte do dia.

Logo o tempo virou e veio uma boa chuva, justamente na hora que iria começar a pinchas, apesar de estar com um poncho, preferi não pescar na chuva, estava dando raios e o local que iria pinchar em cima do aterro é muito aberto, melhor ficar em segurança.

Passada a chuva hora de começar a procurar lenha para a fogueira, tudo bem encharcado, mas nada que um pouco de processamento na madeira não resolva.

E logo o fogo começa a dar sinal de vida.


Apesar de estar claro já era 7 horas da noite e não demoraria para a noite cair. Não o bastante o fogo era importantíssimo, afinal olha o que lhe esperava.


Sem perca de tempo é hora de processar uns galhos preparar umas estacas e assar esta maravilha de bacon, para matar quem nos mata ( fome).



A noite vai caindo e alguns moradores começam a sair de suas tocas e andar pelo brejo.


Como segui para outro ponto, hora de fazer uma fogueira secundaria, nada mais que um "acampamento" de apoio, onde levei parte de equipamentos para me manter.



Também na água os moradores da noite começam a aparecer em meio a alguns lambaris.





E assim a noite se segue e meio a uma captura e outra, sempre é bom continuar comendo rsrsrs.




E assim se seguiu a noite com vários carás também, e sem dúvida não poderia faltar elas, na técnica da batida, de onde algumas foram selecionadas.


E a medida que a chama ia consumindo a madeira e se esvaindo, também o tempo foi passando até que é chegada a hora de levantar acampamento e retornar para a casa, com a certeza de que mais um dia valeu a pena.



Apenas um pensamento que me vem a cabeça quando estou no mato, especialmente preparando o fogo, é neste momento que me sinto mais perto dos homens antigos, da época das cavernas e é uma sensação difícil de explicar, mas é possível sentir e visualizar como foi para o homem desenvolver conhecimento para conseguir o fogo, é curioso a sensação que sinto quando estou em meio ao escuro sem chama alguma, e a sensação que vem com o brilho da brasa e entre um assopro e outro o fogo levanta e a sensação de segurança envolta em aconchego aflora sobre minha pessoa. É neste momento que se entende como algo hoje em dia tão banal como o fogo, tão simples de se obter com um palito de fósforo, faz toda a diferença para o homem quando esta esta como um elemento da natureza sem suas tecnologias e apenas dependendo de sua própria ciência e conhecimento......


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...