25 de abr de 2011

Não perca mais iscas e anzóis nos enroscos




Quando pescamos com iscas naturais nos rios, temos uma grande "aliada" e ao mesmo tempo uma grande "inimiga", claro que estou falando das pedras.

Estruturas de pedras nos traz a vantagem de ser um ótimos ponto, afinal é um local com potêncial para peixes.

Por outro lado também é um dos grandes terror da pesca já que é um ponto de enrosco.

Em um terreno submerso bem pedregoso é comum durante o dia de pesca o pescador perder vários anzóis, devido a chumbada, cair entre espaçamentos nas pedras e ao recolher ela ficar enroscada, sendo assim temos que puxar para a linha estourar.

Porem existe uma montagens que nos ajuda ao menos evitar perder anzol, encastoado e isca.

A montagem não é complexa, e se o chumbo solto na linha não se faz necessário é interessante utilizar esta técnica.

A grande "sacada" deste sistema é que o chumbo ficará de forma "individual" da linha principal, e do anzol com a isca.

Este padrão de montagem que aqui mostrarei é na verdade "variações" das montagens utilizadas na pesca de praia.

Podemos fazer dois tipos básicos de pernada, uma utilizando rotores e outra sem rotores.

Caso 1 -> Pernada sem rotores:

Para esta montagem precisaremos de:

Giradores ( triplos e simples)
Snaps
Linha mono uma de bitola condizente com a pesca, esta será para o chicote/ pernada
Linha mono de resistência inferior a linha do chicote/pernada.

Na linha principal que vem da carretilha / molinete amarraremos um snap

Faremos então um chicote para o encastoado/ anzol, este chicote deve ser feito com uma linha mono de acordo com as necessidades do local, na outra extremidade da linha amarraremos um snap

Para o chumbo utilizaremos a linha mono de menor resistência, onde em uma ponta amarraremos um snap, e na outra o chumbo, lembrando que podemos fazer uma "armação" de arame para passar por dentro do chumbo, e fazendo uma argolinha, para amarrar a linha.

Agora vem a finalização.

Se o girador for simples, na argola de cima coloque o snap da linha principal, e o snap da linha com o anzol, e na argola de baixo coloque o snap da linha do chumbo

Se for um girador triplo, na argola de cima colocamos o snap da linha principal, na argola do meio o snap da linha do anzol e na argola inferior o snap do chumbo.

Na imagem abaixo a montagem com um girador simples.




Este sistema é o mais simples de ser feito, seu preparo é rápido, entretanto ele tem um grande inconveniente, no caso de precisarmos arremessar a isca, a chance do pernada do anzol, enrolar com a pernada do chumbo é grande, sendo assim é uma montagem interessante para a pesca embarcada, na modalidade da rodadinha.

Caso 2 -> Pernada com rotores:

Para esta montagem precisaremos de:

Giradores ( simples)
Snaps
Rotores
Miçangas
Linha mono uma de bitola condizente com a pesca, esta será para o chicote/ pernada
Linha mono de resistência inferior a linha do chicote/pernada.

Esta é uma pernada  padrão na pesca de praia, porem aqui estamos utilizando ela de outra forma e com variações de acordo com a nossa necessidade, antes de começar a explicar ela precisamos saber como confeccionar o nó de correr.

Ele deve ser feito com uma linha mono não muito grossa, uma 0,20~0,25mm já da conta do recado para o nosso caso

Observe na imagem como fazer o nó

Na linha principal, amarre um snap.

Montaremos a pernada onde ficará o rotor.

Com a linha de acordo com a sua necessidade, amarre em uma monta um snap, agora faremos o procedimento nesta ordem:

Nó de correr - miçanga - Rotor - miçanga - Nó de correr.

Na outra extremidade amarraremos um girador.

Agora vem a pernada do anzol, em uma ponta da linha amarramos o anzol, encastoado seja o que for, a outra ponta é fixada no rotor, normalmente é utilizado um nó cego, porem de 4 voltas, ou o nó clinch.

E por fim o chumbo, este segue o mesmo sistema da montagem anterior, devemos utilizar uma mono de resistência inferior a do resto do chicote/pernada, em uma ponta amarramos um snap e na outra o chumbo.

Na imagem abaixo temos a montagem:


Este sistema é um pouco mais trabalhoso se comparado ao anterior, porem com a utilização de rotores, não temos mais o inconveniente da pernada do anzol enrolar com a do chumbo no arremesso, podendo ser utilizado de forma mais geral.

Analisemos a vantagem destes sistemas:

Quando utilizamos o chumbo solto na linha, muitas vezes como ele vem pelo fundo, e em muitas situações acabamos com o chumbo preso nas pedras, ou o anzol, que graças ao chumbo também ficava sujeito aos enroscos, logo temos que puxar a linha até esa estourar.

O grande trunfo de se utilizar estas montagens é que o chumbo esta preso a uma linha de resistência inferior, e graças a pernada a isca/anzol nunca ficará rente ao fundo, então o único que pode enroscar é o chumbo, e em caso de enrosco como a linha é fina, para estoura-la é fácil e não perdemos anzóis, iscas etc.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...